2.10.15

jamais votaria na PáF. jamais. votar neste PS era motivo para ter um colapso gastrico a seguir. provavelmente, entre o BE e a CDU, tirava à sorte. e depois ia beber para esquecer. e isto quer dizer o quão mau é o cenário. o facto de não poder votar nestas eleições ajuda-me a não ficar com peso na consciência. mas, ao mesmo tempo, angustia-me por não poder contribuir para pôr o governo actual no olho da rua. estas eleições são uma espécie de roleta russa.

2 comentários:

João L. disse...

Cavaco disse ontem durante uma visita aos EUA, com aquele ar de quem descobriu a essência do Universo, que sabe muito bem o que fará na Segunda-feira. Portanto, disse "nada", as usual. Mas disse-o com aquele sorrisinho de quem pensa: percebem o que eu quero dizer eh eh eh eh?
Hoje fará uma comunicação ao País, apelando ao voto e blá blá blá e que é preciso uma "solução estável na assembleia", blá, blá, blá e que apela ao entendimento entre partidos ... blá blá blá.
Estou convencido que fará a ginástica que for necessária para investir de novo os PáFs, caso não haja um partido com uma maioria quase a roçar a absoluta.
Até porque ELE também vai a votos. Cavaco é indissociável deste governo.
Pôr o governo na rua é uma necessidade civilizacional mas, vistas assim as coisas a 10.000 m de altitude, só há uma maneira prática de tal acontecer: O PS ter uma grande votação.

x disse...

temo que tenhas razão, mas sinceramente este PS da-me algumas náuseas...